Skip to content

INCIDENTES CIBERNÉTICOS: É PRECISO APRENDER A LIDAR COM INCIDENTES DE DADOS

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Atualmente, vivemos a era da informação e digitalização dos dados, trazendo os holofotes para os ambientes de tecnologia das empresas. Desta maneira, os dados armazenados nos servidores corporativos, seja nos data centers próprios ou em nuvem, se tornaram alvo de ataques cibernéticos.

O ano de 2021 foi de consolidação das ameaças em relação a esses ataques: nunca foram tão frequentes, impactantes e sofisticados. Houve vazamento de informações sigilosas, sequestro de dados, invasões de sistemas e muito dinheiro perdido. Empresas como Facebook, JBS, Renner, CVC, Atento, Ifood, e até mesmo sites do governo sofreram com incidentes de dados no último ano.

O Brasil foi o 5º país que mais sofreu crimes cibernéticos em 2021: apenas no 1º trimestre de 2021 houve um total de 9,1 milhões de ocorrências, mais que o ano inteiro de 2020, segundo a consultoria Roland Berger.

Diante do crescente número de invasões de sistemas e vazamentos de dados e novas regulamentações, fica cada vez mais claro a importância das organizações estruturarem um plano de gerenciamento de incidentes, através da implementação de um programa de privacidade adequado à LGPD.

Ter um programa de privacidade adequado à nova legislação, com atividades e medidas focadas em segurança da informação, é essencial para mitigar riscos e evitar que as informações sejam alvo de incidentes.